E se acontecer? O que fazer em caso de estupro: amigos, família

por Tággidi Ribeiro


Escrevi esse post aqui, sobre o que fazer em caso de estupro, para a vítima. Agora, quero falar a você que pode eventualmente ser conhecidx, amigx ou parente de uma vítima de estupro. Sabendo que a maioria dos estupros acontece em casa, sendo perpetrados por conhecidos da vítima, você pode ser inclusive testemunha (ocular ou não) de um. Por isso, acho bom você ficar preparadx para ser diferente do que as pessoas costumam ser nesses casos: insensíveis, cruéis, desconfiadas e não confiáveis.

1. Em primeiro lugar, se uma mulher - mãe, irmã, amiga, prima - disser a você que foi vítima de estupro, não pergunte "O que você estava fazendo?"; "Como estava vestida?"; "Mas porque foi falar com ele?"; "Por que saiu sozinha?". Também não diga: "Você não devia ter bebido tanto."; "Acho que você deve estar confusa. Ele não faria isso."; "Vai ficar sozinha com homem, sabe o que acontece...".

Cada uma dessas falas é uma sentença que repassa à vítima de estupro a responsabilidade por ter sido estuprada. É como se ela pudesse, por meio de algum comportamento ou atitude, estar a salvo desse crime hediondo. Na mesma medida em que responsabiliza a vítima, tira a responsabilidade do estuprador, tornando-o alguém que teve um motivo para praticar esse crime. De todas essas falas, a pior é, obviamente, aquela que deliberadamente duvida da vítima: "Ele não faria isso." é uma frase que funciona bem  como um segundo estupro - portanto, mesmo que a diga só para si mesmx, faça-o sentindo vergonha. Ah, não fique caladx e NUNCA diga: "Esquece isso."

2. Em segundo lugar, faça a coisa mais importante: ofereça apoio, diga que conte com você, leve a vítima ao hospital, à delegacia. Peça ajuda para ela, defenda-a de constrangimentos na delegacia, no hospital, pois muitas vezes os profissionais dessas instituições reproduzem os preconceitos da sociedade machista. Pode ser que ela não queira denunciar o estupro: em qualquer caso, dê seu apoio à vítima - mas deixe claro que se ela resolver denunciar, você estará ao lado dela.

Atenção: se você for testemunha ocular de um estupro, é seu dever chamar a polícia ou de qualquer forma fazer parar o ato (e chamar a polícia). Não raro lemos casos em que as vítimas foram abusadas na frente de outras pessoas e ninguém fez nada (leia e chore). Ah, caso você tenha dúvida de que o ato sexual por você presenciado seja estupro ou não: intervenha primeiro, pergunte depois.  

3. Caso a vítima de estupro venha a engravidar, deixe por conta dela a decisão de abortar ou não. E a apoie em qualquer caso. Lembre-se de que o aborto para vítimas de estupro é legal neste país - ainda que haja gente querendo suprimir esse direito da mulher, mercantilizando os úteros femininos. Se você ainda não ouviu falar sobre, o Estatuto do Nascituro prevê uma bolsa para as mulheres que decidirem não abortar fetos frutos de estupro. Se você não sabe, a Elba Ramalho 'intercedeu' por um feto, chantageando emocionalmente uma menina de 14 anos que havia sido estuprada pelo pai. Não faça isso, não faça parte disso. Pense nessa pessoa sofrendo a seu lado e haja legalmente, deixando crenças e convicções morais de lado. Essa pessoa será sua filha, amiga, namorada, mulher, mãe, avó... Ela vai precisar do seu apoio, que é a grande palavra desse post.

Por fim, quero lembrar que vivemos em uma cultura do estupro, na qual a vítima, via de regra, é acusada, julgada e culpada em lugar do estuprador. Justamente por isso, precisamos aprender a ser o contrário, precisamos aprender a ter empatia e compaixão pela vítima, não pelo criminoso, mesmo que este seja seu vizinho, amigo, pai, irmão, marido, filho, avô. Pense bem: depois de tudo o que você já leu, de saber quão traumático pode ser o estupro, levando suas vítimas mesmo ao suicídio... você ainda vai duvidar, culpar a vítima? Você ainda vai preferir continuar casadx com um estuprador a denunciá-lo? Vai esconder (de si mesmx) que alguém conhecido, ou até muito próximo, é estuprador? E se o estuprador fizer mais vítimas? E se ele vitimar você?


18 comentários:

  1. Muito sensato e responsável o seu post. Mas é muito angustiante lê-lo, infelizmente...

    Achei ótimos os links que vc colocou aqui. Seria bacana um post para cada um deles, hein?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thaís! É mesmo difícil ler (e escrever) posts sobre estupro e abuso (inda mais sobre o intrafamiliar), mas é necessário que nos fortaleçamos, que nos preparemos para qualquer situação, para ajudar quem realmente precisa... Sobre os links, vou me organizar pra ver se escrevo sobre eles. Ah, fique à vontade para escrever sobre eles, também!

      Excluir

  2. Belo texto, muito bem elaborado e convincente, porem, no caso do aborto, eu não sou a favor do mesmo, mas como profissional de saúde eu perante uma situação dessas, prefiro não me calar diante a decisão da vitima, exceto caso ela me pede opinião a minha resposta não é fazer o aborto, pois o feto é um ser humano e vitima da estupidez do agressor. Mas parabéns pelo seu texto.

    Maria Madalena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, Madalena, obrigada. Agora, atente para uma coisa: você precisa separar suas convicções pessoais do seu trabalho, principalmente sendo uma profissional da saúde. Como tal, sua obrigação é cuidar, apoiar e esclarecer. Nunca, jamais se poste contra uma mulher que deseja fazer um aborto legal (amparado pela lei). A vítima é a mulher, não o feto; o que o estuprador cometeu foi um crime hediondo, não uma estupidez. Eu sou a favor da escolha da mulher em qualquer caso, mas neste, em específico, dado o grau do trauma sofrido pela mulher, e sabendo que a lei a ampara, não há razão para infringir a ela um segundo sofrimento. Se você é uma profissional, então, é seu dever não causar ainda mais dor e aflição a uma vítima.

      Excluir
  3. O que podemos fazer se a vítima não quiser denunciar?
    Mesmo anos depois do acontecido, pode ser feito algo?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  4. Sei bem como é isso, pois sou vítima de estupro ..e foi pelo meu próprio irmão. .É vergonhoso, quase enlouqueci...sou revoltada até hoje com isso...

    ResponderExcluir
  5. Sei bem como é isso, pois sou vítima de estupro ..e foi pelo meu próprio irmão. .É vergonhoso, quase enlouqueci...sou revoltada até hoje com isso...

    ResponderExcluir
  6. Sei sei como é isso...pois fui estuprada pelo meu irmão ..:'(

    ResponderExcluir
  7. nao sei como conversar com minha sobrinha de sete anos abusada por um tio quando fiquei sabendo meu deu um mix de coisas ruins a menina ficou meses traumatizada ea esposa do ser ainda esta casada com ele bom ainda nao conseguimos prendelo pq amo ela como minha filha mas nos fizermos algo tipo violencia com ele nao adianta quem vai ser preso vai ser nós nos exames um diz que foi abusada em outro feito 4 meses depois diz que nao mas o preocesso continua na justiça

    ResponderExcluir
  8. queria saber se quando um tio pega sua mao e esfrega lá por cima da roupa o que é considerado . no dia eu tinha 11 ou 12 nao me lembro mais mas eu senti como se fosse minha culpa fiquei mal tenho medo e nojo dele ate hoje mas o pior q tenho q olhar pra cara dele todo dia e pior ele se cha machista hj tenho 22 e ja mandei um comentario agora pouco sobre minha sobrinha

    ResponderExcluir
  9. boa noite tipo se um padrasto passa a mão nas partes intimas de uma adolescente ou ate mesmo fica nu na frente dela ou ate mesmo fazer gestos obscenos oq o pai deve fazer se ele nao mora com a filha e a mãe da adolescente não acredita nela, chegou ate a bater na adolescente por ela dizer que o marido dela esta fazendo estas coisas? o que o pai deve fazer se a guarda esta com a mae? a menina so tem 13 anos e é filha unica do pai mas tem um irmão por parte de mae e do padrasto. O que ele (pai) tem que fazer diante a justiça?

    ResponderExcluir
  10. oq um pai deve fazer quando a filha mora com a mae e o padrasto passa a mao nela fica pelado na frente dela faz gesto obscenos pra ela xinga ela de palavrões muito fortes pra uma menina de 13 anos e o pior é que a mae dela quer ir embora pra minas com ela o irmao filho do padrasto com a mae e o padrasto tbm vai e ela não quer ir com medo dele a mae dela bate nela e quando a mae ficou sabendo disso tudo nao acreditou e deu uma surra na menina e deixou hematomas tipo arranhões quando eu perguntei ela disse que foi um gato...
    o pai da menina nao sabe oq fazer se vai na delegacia ou se ja tira a filha dila da casa da mae mesmo sem um ordem judicial oq devemos fazer neste caso? a e a menina cuida do irmão dela sozinha tipo o irmão dela te 3 anos vai fazer quatro e ela so tem 13 isso pode diante a lei? o dinheiro que a mae dela pega de pensão é pra pagar contas dela e nao pra ajudar com a menina e sim com ela e com o outro filho oq devemos fazer nos ajude por favor estamos sem orientação alguma
    desde ja muito obrigado....

    ResponderExcluir
  11. Minha namorada têm apenas 13 anos, eu estava coversando com ela uma noite ela toco no assunto quê ninguém sabe oque ela passa etc, e assim procurei sabe o quê estava acontecendo o que descobri me chocou, Ela está sendo abusado por seu primo de 16, di todo meu apoio para ela fiz ela se senti bem etc. Mais eu não sei o que fazer para quem recorre .. El não pode se preço por ser de menor, o que eu Fasso?

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde...
    Passei por essa bendita situação quando Tava com 12 para 13 anos... Fui a casa da minha madrinha param fazer trabalho de escola pois ela tinha computador e Internet em casa... fiz o trabalho e no fim da tarde optei em dormi na casa dela em vez de ir embora sendo que todas as vezes ia para casa... Por volta das 10 e pouco da noite minha madrinha foi para uma festa com o marido dela e nisso eu fiquei na casa dela o meu primo como sempre tinha saído param ir festas e tal. Por volta das 2 da madrugada ow mais ele chegou cm um amigo totalmente bebado e eu Tava dormindo acordei assustada com eles me agarrando me alisando amarraram minhas pernas meus braços na ripa da cama e nisso eles puxavam minhas parte e começaram a me estrupa tdo os momento revisando hoje estou cm 18 anos totalmente traumatizada aprendí a me defender como um bicho chingo bato vou pra cima com tudo e o coitado do meu marido que recebe tudo isso... Não tenho coragem de denuncialos nem contar para minha família... O que faço para mudar essa minha forma de reagir?

    ResponderExcluir
  13. Sou professora e tive contato com alguns relatos de estupro de alunas e conhecidas delas. O que digo a elas é que não importa quanto tempo tenha passado, denuncie. Acontece muito de familiares duvidarem da vítima, nesse caso é necessário procurar alguém que possa apoia-la - se você tem CAPS ou algum centro de assistência para mulher na sua cidade (ONG, assistência social, grupos de apoio, delegacia da mulher) NÃO hesite em procurar apoio neles!!! São lugares importantes que oferecem apoio psicológico e jurídico para as vítimas. Caso você esteja próximo da pessoa, esteja firme lá pra ela, escute, e a ajude a não ser constrangida por outras pessoas, pois isso é muito duro. Para a jovem que foi vítima, uma coisa que pode te apoiar é procurar grupos de mulheres que tenham passado pelo mesmo que você, veja se tem algum na sua cidade, ou conversar com mulheres que passaram por isso online mesmo, porque falar e conhecer a experiência de outras pessoas ajuda muito a elaborar e vai te apoiar na superação dessa monstruosidade. Nunca pare de repetir: não foi minha culpa. Nunca é culpa da vítima, não esqueça.

    ResponderExcluir
  14. Não sei como fazer minha filha denunciar um estupro ela não quer ir à delegacia nem ao hospital pois eles culparam ela é disseram que ela queria. DeRAM bebida a ela e quando Ela desmaiou foi estuprada por 3 homens q ela achava q eram amigos ela tem 17 anos e está com medo de eles contar pro namorado dela ela acordou na casa de um deles toda com a calcinha td suja de sangue e fezes. Já dei conselho e apoio pra irmos ao hospital e a delegacia mas ela se nega e se culpa pelo acontecido não sei como proceder se ela não quer denunciar. Me ajudem por favor

    ResponderExcluir
  15. Preciso de uma ajuda pois sofro com um ocorrido a três anos, consegui contar a meu esposo oq ocorreu mas ele não acredita em mim eu fui riada na igreja e nunca fui de ir pra balada nem de beber nunca mesmo fui criada dentro de casa e com meus pais sempre me vigiando e me prendendo . Até que eu consegui um emprego em um bar q iria abrir logo q recente e eu namorava com meu esposo dentro de dar local havia um rapaz q tinha se interessado em mim e eu já havia dito q não queria absolutamente nada com ele pois tinha um relacionamento o qual eu respeitava , uma colega de trabalho a qual era irmã do crapula começou a tentar colocar ele na mh mas eu sempre neguei até q eles armaram , na epok que saiu aquela bebida Skol Beats, ela me ofereceu um pouco e disse q não era forte q era doce e gostosa e eu como nunca tinha bebido nada assim na mh vida, tomei um gole , gostei pq era doce e fomos dividindo a garrafa mas ela deixou a última parte pra mim a mais azeda e forte , e me deu mais duas e eu fiquei em outro mudo emtranse, eu tava mto bêbada de não conseguir andar , a cabeça girava muito e era hora de ir embora e ela sempre ia comigo pra casa junto com ele me levar, então neste dia eu não conseguia andar e eles me fizeram durmi na casa do irmão dela , ela disse q não podia fik lá casa q TB era da avó dela , e que eu TB n podia durmi na casa dela , casa q era da nossa amiga em comum. E próximo da minha ksa. Eu me lembro e falar q eu queria ir pra casa e implorar pra ninguém fazer nada comigo e me levar pra casa , daí ela insistiu em me dx ali disse q era pra eu confia q ela ia fik lá TB e q o irmão dela naofaria nada cmg , eu não Ive opções infelizment a última coisa q eu queria era ter ficado com ela ou sem, até q ele me estuprou e eu acordei gozada e sem saber aonde eu estava eu ainda morava com meus pais e eu não consegui falar oq aconteceu em a rles e bem ao meu namorado q agr e esposo não de papel mas pq eu saí de casa fui morar sozinha , dps de MT tempo um ano e pouco eu consegui falar disso a ele pois eu tava quase me matando pois nosso relacionamento sempre foi aberto e ele era meu protetor mas o medo dele me deixar e achar q a culpa foi minha era enorme , até q eu disse a ele o ocorrido e tudo como foi e ele decidiu permanecer cmg mas disse q não credita em mim , e que eu quis e que a culpa foi minha q eu tinha bebido e dado pra outro homem eu perdi minha virgindade m meu esposo meu primeiro homem em tudo . E ele me disse isso q eu era puta e safada. E que está cmg pq me amar mas não acredita em nada q eu falei , disse q eu manchei nosso relacionamento é hoje vivo um inferno ele vive me jogando na cara q a culpa foi minha q eu fui infiel e puta , e eu não sei mais oq fazer acho q o sentimento ta sendo afetado nisso pq ele tudo q acontece me joga isso na cara e quer q eu mate o cara mas q eu faça pq ele ainda acha q eu tenho culpa eu hoje vivo com medo de tudo ele me deixa em casa sozinha e vive na mãe dele , todos os dias vivi de briga e tristeza mas não tenho como voltar pra ksa dos meus pais eu trabalho a noite e ele TB eu durmo o dia inteiro não me alimento direito e não tenho mais amigos , eu tô mto infeliz mas eu o amo muito , mas eu sinto q não vai dar mais pra fik . Pq eu não consigo aceitar a culpa de algo q eu não tenho , já sofro MT com o ocorrido e não suporto isso mais . Eu preciso de ajuda

    ResponderExcluir
  16. Suplique a Deus o espírito santo Dele. É a única força que vai te consolar. Sua dor é muito grande filha. Você só tem a Cristo e ao Pai. Peça ajuda a eles. Eu só posso orar por você.

    ResponderExcluir